fbpx

Que presente você quer?

A tradição de se comemorar aniversários surgiu por volta de 3000 a.C. no Egito antigo. Além dos egípcios, os gregos também adotaram o costume, mas restringiam as comemorações apenas a seres superiores, como faraós e Deuses. Com o tempo, o hábito chegou aos romanos e se estendeu aos mortais, mas ainda limitavam o privilégio aos imperadores e aos senadores da República!

A origem dos aniversários está ligada à ideia de que anjos malignos vinham roubar a alma do aniversariante nessa data e que era preciso presentear o celebrante para afastar os maus espíritos. A moda de celebrar o aniversário de todos é bem recente e está relacionada ao crescimento do consumismo. A partir do século XIX se instituíram as comemorações anuais dos meros mortais com festas com convidados e presentes.

Atualmente, quando falamos de eventos comemorativos, o aniversariante é assolado com uma série de dúvidas inquietantes. Tudo começa com o planejamento da festa. É sempre complicado fazer aquela temida lista de convidados. Qual critério usaremos para escolher quem fazemos questão da presença? Depois, vem a pergunta dos amigos – o que você quer ganhar de aniversário?

Nesse tema, a língua portuguesa traz uma curiosa coincidência de vocábulos, assim como comentei no último artigo publicado aqui na Newsletter da YourNetWorks. No dia da celebração, naquela data que programamos e esperamos com tanta ansiedade, enfim temos no momento presente várias pessoas queridas presentes e algumas delas até trazem algum presente!

O que chama atenção nesse jogo de palavras, entretanto, é que cada uma delas se refere a um tempo distinto. Todos os amigos que prestigiaram o evento foram conquistados em algum momento no seu passado. Os regalos recebidos na ocasião proporcionarão algum prazer e benefício futuro. Mas o que realmente importa é o que acontece no presente. É o encontro com aquelas pessoas especiais que priorizaram esse encontro naquela oportunidade específica que tornam seu dia memorável!

Um dos principais ensinamentos da filosofia budista, uma das doutrinas espirituais mais antigas do mundo, é de se viver o momento presente, o que é fundamental para ter uma existência plena e consciente. Quando estamos verdadeiramente presentes, podemos apreciar as pequenas alegrias da vida, nos conectando mais profundamente com os outros e enfrentando os desafios com clareza e resiliência.

No livro “O Coração dos Ensinamentos de Buda: Transformando o Sofrimento em Paz, Alegria e Libertação”, o monge budista e escritor Vietnamita Thich Nhat Hanh nos ensina que nada é mais precioso do que estar no momento presente, totalmente vivo, totalmente consciente! Por isso, para sua rede funcionar, se conecte com quem está presente no seu presente! Liberte-se das preocupações do passado e reduza a ansiedade com o futuro!

Se curtiu este artigo, compartilhe com quem está presente no seu presente e se inscreva na Newsletter no LinkedIn!

Comentários